A gravidez do ponto de vista do pai

Participar na gravidez

Logo a partir das primeiras semanas de gravidez, a mulher começa a sentir todo o corpo a mudar. Para si, este processo é algo abstrato, e por vezes torna-se díficil participar tanto como ela neste período de espera até ao grande acontecimento... Diversos pequenos gestos podem ajudá-lo a prepará-lo para a paternidade e simultaneamente demonstrar o seu compromisso à futura mamã.
 

  • Se tiver possibilidade, acompanhe-a nas consultas de rotina ao ginecologista. Poderá colocar as suas dúvidas e ao mesmo tempo ouvir os conselhos e as recomendações que serão dadas. A partir do 2º mês de gravidez, já é possível ouvir a vida que cresce na barriga da sua companheira, através dos batimentos cardíacos do embrião. Um som mágico e perturbador que contribui para realizar que vai ser pai.
     
  • Do mesmo modo, tente estar presente nas três principais ecografias. Poderá ver o bebé, ver até que ponto o bebé mexe, é ativo e real! Durante o exame, não hesite em questionar ou pedir novas fotos do bebé.
     
  • Durante a escolha do método de preparação, informe-se sobre a haptonomia: definida como a ciência das emoções proporciona uma posição priveligiada ao futuro pai. As sessões podem começar assim que os movimentos do bebé forem perceptíveis para a futura mamã. Com base no diálogo com o bebé através de toques específicos, a haptonomia proporciona uma via única para comunicar emocionalmente com o bebé.
     
  • Não hesite em envolver-se na escolha da maternidade. Mesmo que a escolha seja com frequência feita pela futura mamã em função do que pretende para o parto, partilhe  a sua opinião:  a presença do pai na fase de preparação, na sala de parto e durante os dias passados na maternidade são critérios importantes, tanto para si como para a futura mamã! O respeito pela posição que quer assumir junto da futura mamã durante e após o nascimento é importante para que absorva o novo papel de pai.
     
  • Quando a sua companheira começar a sentir o bebé a mexer, tente também acompanhar os movimentos colocando as suas mãos na parte debaixo da barriga dela. No início não espere sentir grandes movimentos, mas antes uma presença que preenche a sua mão ou a sensação semelhante a borbulhar. Se não sentir nada, seja paciente e tente de novo passados alguns dias.
     
  • Quando conseguir sentir o bebé, procure um momento calmo para se dedicar a comunicar com o bebé, e se possível todos os dias. Pode para além de tocar através da barriga, falar com ele, dar-lhe a ouvir uma música do seu agrado...
     
  • Para estar presente na vida futura do seu bebé, invista na preparação material do quarto dele, participe na escolha dos móveis ou do carrinho que irá guiar com todo o orgulho quando estiver a passear como seu bebé! A sua companheira irá ficar certamente sensibilizada, pelo seu empenho em participar.

 

Comente este artigo

Partilhar a minha lista de cuidados